Cotidiano

Posted on 18/08/2011 por

0


Cotidiano

 Eu me lembro como se fosse ontem, era tudo muito novo, nova cidade, nova rotina, e lá estava eu, uma menininha de seis anos agarrada as pernas do pai pensando que lugar era aquele ao qual estava sendo deixada. À primeira impressão, parecia um lugar grande cercado de muros, grades, com paredes cinzas e cheio de pessoas estranhas e de fisionomia séria.

Mal sabia eu que, em meio aos muros e grades, eu encontraria abrigo e segurança, experimentaria a emoção de descobertas, inclusive a minha própria, desfrutaria de momentos maravilhosos com as tais pessoas “estranhas” que logo se tornariam mais do que funcionários ou professores, amigos! E mais do que português, matemática, geografia… me ensinariam lições de vida.

Conheceria pessoas e faria amizades que iriam muito alem das salas de aula, pessoas essas que, na grande maioria, ainda fazem e farão parte de muitos dias de minha vida.

E quem poderia imaginar?! Iria querer a cada dia mais estar de pé às sete da manhã apenas para vivenciar esses momentos.

E assim foram 11 anos da minha vida, em meio a festas, provas, piqueniques , provas, churrascos, provas, trabalhos e provas. Anos esses que estarão para sempre gravados em minha memória na forma de boas e saudosas recordações vivadas na Escola Anésia!

 

 Beatriz Alves Rodrigues, 17 anos, estudante do 2º semestre de Direito na Universidade Metodista de São Paulo. Foi aluna na Escola Estadual Profª Anésia Loureiro Gama de 2000 a 2010.